mec

Por que estamos indo de mal a pior na língua portuguesa?

Pela manhã ao abrir meu Facebook, me deparei com uma imagem compartilhada por alguém. A imagem que é a mesma do topo da postagem, traz de uma forma irreverente uma situação nada engraçada.
 
Reporto-me agora principalmente a crianças e jovens estudantes. Não sou tão velho, tenho 27 anos, costumo observar a escrita e leitura dessa garotada com perplexidade. A razão? A maioria das crianças jovens e adolescentes não tem o mínimo de conhecimento da língua portuguesa, principalmente a ortografia. Hoje é o dia nacional da língua portuguesa e gostaria de fazer algumas colocações.

 
De quem é a culpa?
 
Bem, a nossa velha mania de procurar culpados. Quando analisamos o contexto, vemos que muitos ou até mesmo todos são culpados. Desde os nossos políticos que pouco investem em educação, até o aluno desleixado na sala de aula que não quer saber nada da vida.
 
Há casos e casos. Muitas vezes pode ser a má qualidade da educação. Particularmente, tenho muito a agradecer. Estudei do primário ao Ensino Médio escola pública. Não tenho nada a reclamar dos meus professores, principalmente do primário, que é literalmente a base da alfabetização.
 
Alguns colegas que estudaram comigo não tiveram o mesmo rendimento. Não absorveram o mesmo arcabouço. Por quê? Aí vem as variantes. De repente os pais não incentivavam, talvez não tinham a mesma capacidade de aprendizado, talvez não se dedicaram e por aí vai.
 
Não dá para se determinar um culpado. Então por que ao invés de determinar culpados, não nos unimos e tentamos transformar essa triste realidade?
 
 
 
Prática de leitura e escrita cada vez mais escassas
 
Lembro que só fui começar a ter aulas básicas de informática na 5ª série. As aulas eram na própria escola onde eu estudava. Comecei a ter contato com o mundo virtual a partir daí.
 
Sabe o que vemos hoje? Crianças que mal saem de suas fraudas, já começam a mexer em todo e qualquer tipo de aparelho eletrônico, desde smartphones a computadores. Isso é ruim? Não. Desde que não substitua totalmente ou em maior parte a prática de leitura e escrita.
 
Agora vou criticar a mim mesmo. Ultimamente tenho me desleixado com a leitura e escrita. Sabe qual o motivo? A falta de autocontrole na utilização das redes sociais, computador, celular, entre outras coisas. Ao invés de pegar um livro e passar horas lendo, estou sentado em frente a uma tela de computador ou conversando no WhatsApp.
 
E então me ponho a pensar mais um pouco… Se eu, que durante minha infância e adolescência, tive uma boa prática de leitura e escrita devido a necessidade dos estudos tenho tal dificuldade, imagine a garotada de hoje que muitas vezes sequer sabe o que é uma biblioteca?
 
Imagine que pouca gente vai a uma biblioteca, devido a comodidade da internet. Lembro muito bem que me reunia com colegas de turma para fazermos trabalhos e íamos para a biblioteca da escola e outras bibliotecas. Líamos os livros ou tirávamos cópias das páginas importantes para poder cumprir nossas atividades. Com a comodidade da internet, acha que alguém vai sair de sua casa para ir em uma biblioteca? Consequência disso é a perda da essência da leitura.
 
 
Conhecimento da língua portuguesa é essencial sim!
 
Se alguém imagina que o estudo e conhecimento da língua portuguesa é algo que pode ser deixado para trás, está enganado.
 
Vou dar um exemplo prático. Atualmente no Brasil, devido a instabilidade nos empregos privados, houve um aumento na concorrência para passar em concursos públicos. Com a nossa atual situação econômica, essa concorrência tende a aumentar ainda mais. Estou longe de ser um concurseiro, entretanto, como alguém que já passou em três concursos, nas três esferas (municipal, estadual e federal) posso afirmar que o conhecimento da gramática e principalmente interpretação de textos, são essenciais para aprovação.
 
Já percebi que existem pessoas que sabem todo o conteúdo, porém, diante de uma questão bem elaborada ou de um texto que se exige interpretação, acabam perdendo pontos. Se o conhecimento da língua portuguesa estivesse afiado, provavelmente obteriam sucesso nos certames que participam. 
 
Mudança de hábito
 
Para quem já teve maior prática em leitura e escrita, como é o meu caso, vamos voltar a exercitar. Para quem nunca teve, vamos esquecer um pouco as redes sociais, os smartphones, tablets e afins e vamos começar a ler mais, escrever mais. Visitem bibliotecas!
 
Nossa realidade pode mudar, seus objetivos na carreira pública, se for o caso, podem ser garantidos e o principal: satisfação pessoal em dominar os conceitos básicos da língua de sua terra natal. 
 
Tudo será possível para mudarmos a realidade, desde que haja uma rápida e brusca mudança de hábito.
 
Aos professores de língua portuguesa que leem, perdoem qualquer deslize.
 
 
Jesusmar Sousa Teixeira
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *